Selecione o cadastro


Procedimento correto para o descarte de embalagens

Os CFCs e HCFCs estão listados entre as substâncias que possuem ODP ou Potencial de Degradação da Camada de Ozônio. Por isso, é fundamental promover o descarte correto das latas e dos DACs desses produtos, embalagens conhecidas também como botijas ou botijões.

O primeiro passo que os técnicos da área devem seguir para realizar a operação de descarte é cuidar de sua segurança pessoal, pelo uso do equipamento de proteção individual (EPI) mais adequado, ou seja, luvas, óculos, camisa de manga comprida, sapatos fechados, entre outros itens - saiba mais na seção 8 da FISPQ - Ficha de Informação de Segurança de produtos Químicos.

A verificação do interior da embalagem é o segundo passo. A boa prática do descarte ensina que é muito importante o profissional certificar-se de que toda a carga de produto que havia ali tenha sido retirada. É através da leitura da pressão que se chega à conclusão final: valores acima de zero psig indicam que ainda existe produto no invólucro. Neste caso, a recomendação é recolher a carga restante de produto através de uma recolhedora com cilindro apropriado, até o manômetro indicar zero psig. Somente depois que isso ocorrer, deve-se prosseguir no descarte da embalagem.

Faça um furo em seguida se a embalagem for do tipo DAC ou botija, para impedir sua reutilização indevida e ilegal, e retire todas as etiquetas e rótulos. Desse modo, a embalagem estará pronta para ser enviada a uma empresa especializada na reciclagem de materiais metálicos.

Para uma embalagem classificada como retornável, ou seja, na forma de cilindros, tanques ou isotanques, o procedimento de descarte é praticamente o mesmo. Contudo, em vez de enviar o recipiente a uma empresa de reciclagem, é necessário devolvê-lo ao fornecedor. Importante: fechar as válvulas do cilindro recarregável e colocar com segurança o “capuz”.

Em relação ao descarte do fluido refrigerante remanescente que foi retirado do sistema com a recolhedora, é necessário que o técnico verifique quais procedimentos são indicados pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo IBAMA na sua região de atuação, mas saiba que esse fluido refrigerante pode ser regenerado, reciclado ou recolhido.

Atenção: É importante lembrar que descartar fluido refrigerante na atmosfera é considerado crime ambiental, segundo a lei no 9.605, havendo risco iminente de danos às pessoas e ao meio ambiente.