Selecione o cadastro


Notícias

Tecnologia VRF está em alta

Com entrevista de Carlos Wagner Ferreira, Gerente de Projetos – Johnson Controls

 

A tecnologia VRF (Volume de Refrigerante Variável - do inglês "variable refrigerant flow") é um conceito atrelado a equipamentos de condicionamento de ar desenvolvido especialmente para residências amplas e edifícios comerciais de médio e grande porte. Trata-se de um sistema multi-split, em que uma unidade externa é ligada a múltiplas unidades internas, que operam individualmente por ambiente, através dos chamados sistemas de expansão direta, nos quais o fluido refrigerante “troca” calor com o ar do ambiente – e depois retorna para sua condição inicial no ciclo do sistema de refrigeração.

O grande diferencial do sistema VRF, em resumo, está na combinação entre a tecnologia eletrônica e sistemas de controle microprocessados, além da interligaçao de múltiplas unidades internas em um só ciclo de refrigeração.

Para saber mais sobre o assunto, Notícias Refrescantes foi a campo ouvir o engenheiro Carlos Wagner Ferreira, gerente de pós-venda e garantia da Johnson Controls*. Segundo Ferreira, a instalação de equipamentos com tecnologia VRF tende a crescer bastante de agora aos próximos anos, sobretudo por sua ecoeficiência de operação e preço acessível, com baixo nível de ruído e baixo consumo elétrico.

Acredita-se que um dos principais desafios para consolidação desses equipamentos na região da América Latina, no entanto, resida no treinamento de mão de obra para sua instalação e manutenção. Fabricantes, distribuidores e instaladores são unânimes ao afirmar que, se projetados corretamente e bem instalados, esses sistemas podem proporcionar alto desempenho.

NR: Como funciona um sistema VRF?

CWR: VRF nada mais é do que um sistema de ar condicionado de expansão direta. Nele, o ar do ambiente troca calor diretamente com o fluido refrigerante, por intermédio da ação de um componente que chamamos de evaporadora. Os equipamentos VRF, em resumo, são diferentes, práticos e altamente ecoeficientes, principalmente porque com um único compressor eles “abastecem” um número maior de ambientes, em comparação aos equipamentos convencionais.

NR: Por que aderir ao VRF? Quais as vantagens?

CWR: Ao contrário dos chamados sistemas de expansão indireta (água gelada), o VRF mantém uniformidade na capacidade de refrigeração fornecida a cada unidade evaporadora. Ao mesmo tempo, pode ser acionado por apenas um usuário sem que outros componentes do sistema tenham de ser ligados ao mesmo tempo, situação que acontece, invariavelmente, nos sistemas de expansão indireta. Outra vantagem é o seu preço acessível.

NR: De que maneira o fluido refrigerante interfere no bom ou mau funcionamento de um equipamento VRF?

CWR: Se, eventualmente, um desses equipamentos contiver fluido refrigerante de má qualidade, seu desempenho certamente será prejudicado, entre outros fatores, por alterações na pressão de operação, podendo até interromper o funcionamento do equipamento. Fluido refrigerante de boa qualidade é garantia de bom desempenho para equipamentos de todos os tipos.

Em tempo: A Johnson Controls é líder mundial em produtos, serviços, tecnologias e soluções de qualidade. Está presente em mais de 150 países e desde 1885 mantém um compromisso com a sustentabilidade. Suas vendas globais, em 2011, foram de 40,8 bilhões de dólares.

www.johnsoncontrols.com.br.