Selecione o cadastro


Notícias

Supermercados e a Camada de Ozônio


Uma pesquisa realizada no Brasil1 aponta que o setor supermercadista responde por 40% das emissões que degradam a camada de ozônio nesse país. Nesse sentido, podemos inferir que situação semelhante pode ocorrer nos demais países da América Latina e que esse dado está correlacionado ao elevado índice de vazamentos de R-22, principal fluido refrigerante utilizado neste segmento que, como se sabe, trata-se de um produto que danifica a camada de Ozônio.

Para que esse cenário possa mudar, é necessário realizar ações em duas frentes. A primeira, promover a substituição do R-22 por um fluido alternativo, como os da linha ISCEON™, que não degradam a camada de Ozônio, permitem a utilização do mesmo equipamento e mantém performance similar ao fluido anterior. Dois grandes supermercados brasileiros das capitais mineira e paulista, SuperNosso e Vip, respectivamente, e a segunda maior rede supermercadista mexicana Soriana realizaram experiências bem-sucedidas tecnicamente ao substituir o R-22 por itens da linha ISCEON™ - mais detalhes sobre esses casos de sucesso podem ser vistos aqui -, além de obterem a admiração de clientes e comunidade, por conta do exemplo em relação ao cuidado com o meio ambiente.

A outra frente é a prática da manutenção periódica no sistema, a fim de evitar vazamentos. Um estudo publicado pelo Instituto Mauá – realizado pelo Eng. Donado N. di Giacomo, revelou que os supermercados consomem, aproximadamente, 1 tonelada de fluido refrigerante a cada 3 anos, apenas para repor produtos perdidos devido a falhas na manutenção. A seguir, veja algumas dicas sobre esse tema:

  • Tenha cuidados no dimensionamento, instalação, limpeza e desidratação das linhas de refrigerantes antes da recarga de equipamentos.
  • Os complementos de carga de fluido refrigerante devem ser feitos somente após os reparos necessários no sistema.
  • Um teste com nitrogênio seco com pressão aproximada de 350 psig pode ser feito em todo o sistema. Nos evaporadores, recomenda-se pressão de 150 psig (para evitar ruptura).
  • Realize manutenções preventivas periodicamente.
  • A manutenção preventiva, que deve ser bem planejada e executada com atenção, garante a operação eficiente de uma loja e economia de energia, além de resultar na preservação ambiental.

1 Fonte: Manual de Boas Práticas em Supermercados para Sistemas de Refrigeração e Ar Condicionado de Refrigeração. Uma realização de MMA (Ministério do Meio Ambiente), ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) e ABRAVA (Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento). 2009.