Selecione o cadastro


Gente como você

Problemas com refrigerante fora das especificações

“Produtos sem procedência não têm limites. [...] Sem dúvida alguma, ao utilizar um refrigerante de qualidade é que garantimos o bom funcionamento dos sistemas”

 
Flávio Santos, da Friovel Ar Condicionado de Veículos


Noticias Refrescantes: Conte-nos um pouquinho sobre a FRIOVEL.
Flávio Santos: Fundada em 1981, a FRIOVEL é hoje o maior grupo no setor de climatização automotiva no estado de São Paulo. Possui seis lojas especializadas em ar condicionado automotivo, dentre outros serviços, que estão distribuídos na capital, em Guarulhos, na Grande São Paulo e também no interior de São Paulo. Na capital fica também o centro de distribuição FRIOVEL, que conta com grande espaço físico para armazenagem e expedição de mercadorias.

NR: Quais foram as experiências envolvendo fluidos de procedência duvidosa vivenciadas pelo senhor e sua equipe?
FS: A experiência foi com o fluido R-134a. Em determinada ocasião, não encontramos o fluido no distribuidor que normalmente nos fornece e, então, adquirimos o produto de outro distribuidor de componentes, que, por sinal, já nos fornecia peças de reposição. No entanto, o fluido estava adulterado.

NR: Quais foram os problemas gerados, que o senhor pode destacar, devido ao uso de um produto fora de especificações?
FS: Somos um grupo de seis oficinas de reparação e cinco delas adquiriram o fluido adulterado. Até nos darmos conta de que era o fluido que não se comportava dentro dos parâmetros de funcionamento, foram contaminados aproximadamente 240 veículos. Cerca de 15% desses veículos apresentaram vazamentos, mangueiras rompidas e compressores danificados. Dá para medir o estrago?

NR: Vocês fizeram algum tipo de análise desse fluido?
FS: Sim. Constatamos, por meio de laudos, que a quantidade de R-134a no cilindro não passava de 10%, o restante era de outros fluidos.

NR: Com essa experiência, você gostaria de dar alguma mensagem para os nossos leitores?
FS: Essa experiência nos mostrou que produtos sem procedência não têm limites. Muitas vezes o rótulo indica um determinado fluido, mas dentro da embalagem se encontra, na verdade, um produto agressivo para o sistema e para o meio ambiente. Em outras experiências com este tipo de produto, constatamos também que a quantidade indicada em quilos (kg) no rótulo não correspondia à quantidade de produto do interior do cilindro.
Assim, a mensagem que eu gostaria de dar é que, sem dúvida alguma, somente ao utilizar um refrigerante de qualidade que garantimos o bom funcionamento dos sistemas.

O leitor do Notícias Refrescantes poderá saber muito mais sobre a Friovel no site oficial da empresa: http://www.friovel.com