Selecione o cadastro


Automação predial é a grande tendência do setor de climatização

Segundo estudo do USGBC (United States Green Building Council) de 2011, os edifícios são responsáveis por 42% do consumo de energia e 35% das emissões de poluentes no Brasil, provando o grande impacto que estas obras causam no meio ambiente. Diante disto, é visível o aumento da procura por fatores que minimizam os impactos ambientais e, principalmente, reduzem os custos de energia.

Assim, a utilização de novas tecnologias, bem como a automação e integração de diferentes equipamentos nas edificações, que auxiliam o desempenho dos sistemas e a otimização de recursos, tornaram-se tendências de mercado. Entre elas, está a aplicação de sistemas de ar condicionado mais modernos e eficientes, visando o aumento do conforto do usuário e a redução do consumo de energia.

Embora a implementação desses sistemas de automação necessite de um pouco mais de investimento, ao longo do tempo, podem reduzir em até 30% os custos com energia elétrica, o que demonstra o seu benefício.

No entanto, é importante ter em mente que a eficiência desse tipo de sistema está totalmente vinculada à um bom projeto, marcas confiáveis, empresas capacitadas e profissionais qualificados. Além disso, estar atento aos lançamentos de mercado é um diferencial para se obter o melhor desempenho de um sistema.

No caso de ar-condicionado, por exemplo, já há novos equipamentos sendo produzidos com o fluido refrigerante Suva™ 410A, que consegue obter um desempenho até 40% melhor que o R-22  e não apresenta potencial de degradação da camada de ozônio. 

Junto à constante evolução dos sistemas de refrigeração e climatização, a Chemours ainda reforça a importância de uma manutenção preventiva e uso de fluidos refrigerantes de qualidade, o que reduz desperdícios de energia, melhorando o desempenho dos equipamentos e aumentando a sua vida útil.

 

 

Fonte: Revista ABRAVA – Edição 314